Ai, vida!!!!!

Estava dando um tempo para recarregar minhas energias e aqui estou novamente. Será que alguém sentiu minha falta? Por favor, diga que sim porque sou muito sensível hihihihi.

Para falar a verdade, acho que meu sumiço se deve ao começo do segundo semestre. É sempre assim! Passamos o ano inteiro pedindo para que os alunos estudem, prestem atenção, não conversem besteiras e blá, blá, blá… E eles não estão nem aí.

Até que chega o segundo semestre e com ele o velho fantasma da reprovação e nós, que estamos cansados, temos de ter jornada dupla, porque sempre tem algum aluno querendo aula extra, reforço, revisão etc., etc., etc.

Confesso que, às vezes, me divirto com a cara de desespero de alguns pais quando percebem que os filhos estão prestes a repetir o ano, mas morro de peninha dos meus alunos, mesmo daqueles que sempre dão muito trabalho.

Sei que as melhores lembranças da minha vida são da época de escola.

Foi lá que fiz amigos de uma vida inteira. Criei grupinhos indissolúveis (que sempre se dissolviam). Combinei de fazer pesquisa na casa da colega. Participei do meu primeiro amigo secreto. Votei e fui votada para eleição de representantes de turma.

Foi lá que entendi que cada lugar tem suas regras e que elas devem ser cumpridas. Fui chamada a atenção por freiras que não eram minha mãe, mas que me trataram como filha. Fiquei de castigo por responder a Madre Superiora. Fui suspensa por me esconder atrás de uma santa (acho que era nossa senhora da Conceição) na aula de religião.

Foi lá que descobri desde os dois anos de idade que professores podem apenas nos ensinar regras, leis, datas e fórmulas, mas que os bons professores conseguem mudar nossa vida, nos mostrando um mundo cheio de possibilidades e nos ajudando a encontrar nosso caminho.

Gostaria muito que meus alunos também tivessem boas recordações minhas e dessa fase tão especial. Que entendessem que vamos à escola para descobrir um mundo fascinante, novo, cheio de oportunidades e não apenas para sermos aprovados e reprovados, aliás, isso, na verdade, é o mínimo que nos pode acontecer!

Beijão e até!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *