Abraçando Patinhas

Eu teria feito as unhas, arrumado os cabelos. Colocaria uma roupa nova, me perfumaria. Eu teria convidado amigos para testemunhar, teria preparado uns drinques e uns petiscos. Eu teria feito o meu melhor, caso soubesse que aquele domingo; aquele 11 de março de 2012 iria mudar minha vida para sempre!

Não foi premeditado, não foi planejado, exatamente como não são as melhores coisas da vida. Mas na hora que nos vimos pela primeira vez, eu tive certeza que algo maravilhoso estava acontecendo e sabia que não poderíamos mais nos separar. Logo eu que dizia veementemente que não queria animais de estimação; olhei nos olhos de meu marido e implorei: “precisamos adotá-la”

Ela era lembrança de um namoro que acabou. Talvez por isso, estava sendo entregue abandonada por sua dona. Ela tinha 9 meses. Ela estava assustada. Ela estava triste.

Na hora, não passou por minha cabeça que ela poderia estranhar nossa casa, que poderia me morder, que poderia ter alguma doença… A única coisa que eu pensei foi em colocá-la em meu colo e fazê-la feliz.

Foi assim que Dora “nasceu” na minha vida. Num domingo qualquer, quando minha cunhada(veterinária) chegou na casa de minha sogra mostrando (até então) Mel e dizendo que ela iria ser levada para o petshop pra ver se alguém a queria porque a dona estaria se desfazendo dela.

Uma das primeiras fotos dela aqui em casa (depois do primeiro banho e tosa)

Eu nunca quis julgar essa situação, até porque isso foi o que tornou possível nosso encontro; mas é inevitável pensar que tantas coisas horríveis poderiam ter acontecido a minha pequena. E que tantas coisas horríveis acontecem a tantos animaizinhos que são abandonados todos os dias.

Desde o primeiro instante, eu tive consciência de que ela não era um brinquedo e que não poderia simplesmente acordar um dia e decidir que não poderia mais ficar com ela. Essa é uma possibilidade que simplesmente não existe.

Nossa família completa

Nós a adotamos e ela nos aceitou.

E sim, dá trabalho cuidar dela. Acordamos no meu da noite quando ela faz qualquer barulhinho. Colocamos sua comidinha na hora certa. Penteamos seus pelinhos para não criarem nós. Limpamos cocô e xixi. Temos despesas com alimentação, consultas, remédios, exames, vacinas, banhos, tosas… Mas tudo isso se torna tão insignificante quando pensamos no quanto ela nos faz felizes.

Mãe e filha com o mesmo lacinho!

Dora é nossa filhoquinha de quatro patas e desde que ela esteja bem, nosso dia é mais feliz. É nossa companhia para todas as horas. E chegar em casa, já vale a pena só pela recepção que ela faz e não importa se ficamos dois dias ou dois minutos fora, o amor com que somos recepcionados é renovador!

Melhor companhia de pedalada!

Pensando em amores assim que surgiu a campanha Abraçando Patinhas que pretende, juntamente com a Max, fazer um alerta para a adoção cosciente e guarda responsável de animais de estimação.

Se você pensa em adotar um amigo, pense direitinho em todas as implicações que isso traz e esteja ciente de que seu animalzinho viverá muitos anos dependendo de você. 

Se esse não é seu caso, mas quer ajudar de alguma forma animais que foram abandonados, entra AQUI e descubra como doar alimentos ou até mesmo apadrinhar um anjinho desses!

 Esta blogagem coletiva faz parte do projeto Abraçando Patinhas, uma iniciativa do Rotaroots em parceria com a marca de ração Max – da fabricante Total Alimentos. Esta iniciativa reverterá na doação de 1 tonelada de ração para a ABEAC, ONG responsável pelo bem estar de cerca de 1100 cães. Saiba mais sobre o projeto no site do Abraçando Patinhas ou participando do grupo do Rotaroots no Facebook.

10 comentários em “Abraçando Patinhas

  • 10/10/2014 em 16:01
    Permalink

    que fofura 🙂
    E que foto bacana dela na bicicleta. Sempre quis sair por ai com minhas gatinhas mas duvido que elas fiquem 10 minutos paradinhas dentro de uma caixinha como essa. hehe

    não estava sabendo desse projeto leninha!!! Vou pesquisar.

    bjs!!

    Resposta
    • 10/10/2014 em 23:10
      Permalink

      Jess, querida!!!!

      É uma ótima in iniciativa essa, participa também!

      Dora também não ficava não, mas fui acostumando aos pouquinhos e hoje passa mais de uma hora pedalando comigo!

      Beijinhos!

      Resposta
  • 11/10/2014 em 21:01
    Permalink

    É muito amor mesmo, né?! =) Também tenho os meus bebes!
    Beijos e carinhos, fica com Deus.

    Resposta
  • 26/10/2014 em 23:19
    Permalink

    A forma como ela chegou pra vocês me deixou chateada, porque muitas pessoas só tem bichinho por conveniência e decidem do nada que não podem mais ficar com eles! Ainda bem que vocês tem consciência! Parabéns, ela é linda e com certeza tá te trazendo muitas felicidades!

    Resposta
  • 31/10/2014 em 15:50
    Permalink

    Ooowwwwn que fofura! Como alguém pode se desfazer de um bichinho por ser ~~lembrança de fim de namoro????

    Amei as fotos, ainda mais a última, vocês na bicicleta! Dá pra ver o amor de vocês. A iniciativa da blogagem do rota desse mês foi maravilhosa! Ainda não tenho nenhum bichinho (sempre tive gatos, mas agora não tenho mais), mas queria muito voltar a ter gatos :3

    Mil beijos!

    Resposta
  • 01/01/2015 em 14:51
    Permalink

    Que linda história. Ela deu muita sorte em encontrar vocês. O meu cachorro também é adotado, mas foi um pouco diferente: uma cadelinha de rua estava gravida e pariu na frente da casa de uma amiga nossa. Dai pegamos um dos filhotinhos 🙂
    Feliz Ano Novo 🙂
    ;**

    Resposta
  • 06/01/2015 em 19:19
    Permalink

    Que linda! *-*
    Eu queria muito ter um cachorro, já tive um, mas meus pais não querem mais.. :/
    O jeito vai ser quando eu tiver minha própria casa mesmo 😛

    Beijos!

    Resposta
  • 26/01/2015 em 13:59
    Permalink

    Que belíssima iniciativa! Emocionante o seu post e principalmente o motivo do post quando li no finalzinho!
    Que história linda a do seu pet :~ Você merece parabéns! É tão difícil pessoas adotarem 🙁 Espero que essa realidade mude agora que um projeto de lei foi aprovado 🙂

    Beijos!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *